FORÇA AÉREA transporta brigadistas brasileiros para combater incêndios no Chile

Os 50 profissionais viajam para Concepción, uma das regiões mais atingidas pelo fogo

 

UMA AERONAVE  C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira decolou hoje (07JAN.) por volta das 23h da Base Aérea de Brasília (BABR) em direção ao Chile transportando 50 brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Serão sete horas e meia de viagem até Concepción, cidade na região BíoBío – uma das mais atingidas pelos incêndios dos últimos dias – distante cerca de 500km ao sul da capital Santiago. Veja o video do embarque

Os brigadistas ficarão cerca de 20 dias no país para ajudar no combate, planejamento e prevenção de incêndios. “Caso as autoridades chilenas solicitarem prorrogação, há disposição para atender”, indica o chefe do Centro Especializado do Sistema Nacional de Prevenção e Combate de Incêndios Florestais do Ibama, José Carlos Mendes de Morais.

De acordo com o coordenador do grupo brasileiro, Augusto Avelino de Araújo Lima, que também é instrutor de combate a incêndios há mais de 10 anos, o primeiro passo ao chegar no Chile será estudar os ventos e o terreno em conjunto com as equipes que já estão no local. A medida é fundamental para trabalhar com segurança. Segundo ele, a situação crítica está começando. “O Chile está no início da estação da seca”, afirma o brigadista que prevê trabalho dia e noite para não deixar o fogo avançar.

Além do material de combate terrestre e bombas de longo alcance, o grupo leva a experiência de ter combatido incêndios florestais de grandes proporções, como os que atingiram o estado de Roraima em 1998 e em 2002. “Todos os profissionais são muito experientes e têm em torno de 10 anos de trabalho na área”, afirma Augusto.

No grupo de 50 brigadistas, há uma única mulher. Fabíola Siqueira de Lacerda coordena a formação de brigadistas em todo o Brasil pelo Centro Nacional de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Prevfogo) e segue para a primeira missão de combate a incêndio em outro país. Para ela, este tipo de missão não é uma novidade, mas as peculiaridades do local sim. “O bioma de lá é diferente daqui. O incêndio é de copa com florestas plantadas e algumas próximas a áreas residenciais”, explica a brigadista sobre como é o terreno em que o grupo deve atuar. No Chile, ela será responsável por monitorar as informações das várias frentes de combate e dar apoio ao grupo.

O apoio do Brasil ao Chile, na tentativa de conter os mais de 50 focos de incêndio, conta ainda com a ajuda da Defesa Civil, que arcará com os custos de diárias para os profissionais, e com o Ministério das Relações Exteriores que coordena as ações.

No Chile, os focos de incêndio se intensificaram nos últimos dias. Só ontem (6) um incêndio na Região Sul do país causou seis mortes, todas de bombeiros, quatro feridos e dois desaparecidos. Nos últimos dez dias, mais de 50 incêndios queimaram 50 mil hectares de florestas. As áreas mais afetadas, além de Bío-Bío, são Maule e Araucanie, localizadas a 500 e 700 quilômetros de Santiago, da capital chilena.

Ajuda – Em março de 2010, a Força Aérea Brasileira também foi acionada para missões de ajuda humanitária no Chile que foi atingido por um terremoto de 8,8 graus de magnitude.

(fonte: Agência Força Aérea)

Anúncios

DEIXE um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s