FAB realiza atendimentos básicos de saúde em Belém

 Mais de 2 mil pessoas foram beneficiadas pela ação neste mês

A FORÇA Aérea Brasileira planeja para novembro mais uma Ação Cívico-Social (Missão ACISO) na cidade de Belém (PA). A equipe de médicos, dentistas, farmacêuticos e enfermeiros vai instalar uma estrutura móvel de atendimento de saúde na comunidade das Malvinas, situada em área de vulnerabilidade social, nas imediações do Cassino dos Soldados e Taifeiros da Aeronáutica (CASOTA).

Segundo a Companhia de Desenvolvimento da Área Metropolitana de Belém (CODEM), na área das Malvinas há 2.107 residências catalogadas, com aproximadamente 9 mil habitantes. A expectativa é que sejam realizados 2 mil atendimentos.

A ação é uma parceria entre o Primeiro Comando Aéreo Regional (I COMAR), o Hospital de Aeronáutica de Belém (HABE), a Secretaria de Estado de Saúde do Pará (SESPA) e lideranças comunitárias que tem trazido resultados positivos. Em outubro, missão semelhante realizou 2.253 atendimentos em dois dias. Foram oferecidos à população serviços médicos nas especialidades ginecologia, dermatologia, pediatria, otorrinolaringologia e oftalmologia, e odontológicos, com ênfase em cirurgia buco-maxilo-facial, periodontia, endodontia, clínica médica e odontopediatria.

O chefe do Serviço Regional de Saúde do I COMAR, Tenente Coronel Médico R1 Pedro Ernesto Póvoa, ressalta que o objetivo da operação militar é manter operacional a capacidade da Força de se mobilizar para prestar atendimentos médicos aos combatentes em caso de conflito. Além disso, por doutrina, a FAB agrega ao treinamento a função social de levar serviços de saúde às comunidades carentes, preferencialmente em áreas vizinhas aos quartéis. “Com as ações sociais, facilitamos o intercâmbio entre as unidades militares e a comunidade, que passa a reconhecer na Aeronáutica uma instituição parceira, que além da segurança nacional, investe na melhoria da qualidade de vida das famílias do seu entorno.”

De acordo com o Diretor do HABE, Coronel Médico Walter Kischinhevsky, orientados por uma pesquisa realizada, a ACISO enfatizou o atendimento das demandas básicas de saúde e de prevenção.

Óculos na hora – No bairro da Pratinha, a maior procura foi por consultas oftalmológicas, por isso a fábrica de óculos que produzia lentes e armações minutos após o atendimento, instalada pelo governo do Estado, fez sucesso. Depois de ser atendido, o paciente recebia a prescrição médica e, ao final, ganhava o par de óculos para sair da consulta enxergando. “Essa facilidade representou um grande ganho na qualidade de vida de diversas pessoas, que puderam realizar tarefas simples, como assistir televisão ou estudar”, relata o 1º Tenente Médico Onaldo Araújo do Nascimento, responsável por mais de 50 atendimentos num único dia.

Sabrina Ferreira Machado, estudante de 17 anos, foi beneficiada pela ação. Ela sofria de fortes dores de cabeça por problemas de visão. Com o óculos quebrados há quatro meses, vinha perdendo rendimento escolar pelas dificuldades de estudar e enxergar as lições em sala de aula. “Agora estou pronta para correr atrás do prejuízo. Sem dores de cabeça e enxergando melhor, vou me dedicar aos estudos para realizar o sonho de me tornar oficial da Força Aérea Brasileira”, prometeu Sabrina.

De acordo com o levantamento feito pelo HABE, também houve grande demanda por exames pediátricos, odontológicos e dermatológicos, com alta incidência de lesões cutâneas e alergia a picada de insetos. Outro fato que chamou a atenção dos especialistas foi o alto grau de pacientes com infecção das vias aéreas e parasitose intestinal. Foram realizadas cinco remoções para hospitais da rede pública de saúde.

Atendimentos mudam a vida da população local

Diego Barbosa dos Santos, de quatro anos, torcedor do Corinthians e fã incondicional do jogador Neymar (Santos), havia deixado de fazer o que mais gosta: jogar futebol. Com um abscesso na cabeça, peregrinou durante duas semanas em diversos hospitais da capital paraense sem que ninguém aceitasse tratá-lo.

Os pais ouviram no rádio que a Força Aérea estava realizando atendimentos no bairro e resolveram levá-lo ao local em busca de ajuda. Diego foi prontamente recebido pelos médicos do Hospital de Aeronáutica de Belém (HABE) que trataram o ferimento, consequência da complicação de um furúnculo. Após muito choro, Diego recebeu alta e ganhou uma bola de presente da equipe de saúde da FAB.

Durante o atendimento, duas crianças foram levadas às pressas para internação hospitalar por infecção respiratória aguda. Adaílton Patrocínio Quaresma, quatro meses, e seu irmão Daivisson, três anos, estavam com suspeita do vírus influenza. Segundo a Tenente Médica Maria de Nazaré Gomes Mesquita, a influenza é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório. “As crianças aparentavam estar em um quadro evoluído dessa doença, achamos por bem interná-las para evitar complicações”, salienta.

Raimunda dos Passos Rocha, de 78 anos, com suspeita de pneumonia, também precisou ser removida. “Ela sentia falta de ar e tossia muito. Como teve essa ação de saúde aqui no bairro, resolvi levar a minha mãe para fazer uns exames. Graças à FAB, vimos a tempo que se tratava de um caso grave e pudemos interná-la antes que algo pior ocorresse”, conta a filha Zenilda Rocha.

Além dos consultórios médicos e odontológicos, um serviço que teve grande demanda foram as orientações dadas pela Assistência Social, que teve a missão de levantar a rede de serviços públicos oferecidos à comunidade, de forma a orientá-los para se cadastrarem nos programas governamentais. Esse trabalho foi realizado em parceria com os servidores do Pro Paz Cidadania, entidade do governo do Estado do Pará, que articula políticas públicas de segurança, educação e saúde para a infância e adolescência.

O Instituto Pro Paz Cidadania disponibilizou um posto de distribuição de remédios e um laboratório para realização de exames preventivos de doenças ginecológicas, câncer de próstata, câncer do colo do útero, diagnóstico de hepatite B e diabetes e um posto para confecção de RG, CPF, Carteira de Trabalho (CTPS) e Registro de Nascimento.

Para o coordenador do Pro Paz, Jorge Antônio Santos Bittencourt, a iniciativa da FAB foi fundamental para que a comunidade pudesse exercer direitos básicos. “A união de esforços demonstra que é possível construir alternativas sustentáveis. A força de trabalho dos militares e o apoio de infraestrutura do Estado permitiram levar alento a milhares de pessoas e isso é fundamental”, garantiu Jorge. (sítio do Comando da Aeronáutica // www.fab.mil.br)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: