ONÇA ganha liberdade no Campo de Provas Brigadeiro Veloso, Serra do Cachimbo – PA

Há oito anos, a FAB mantém parceria com o IBAMA para soltura de animais na região

A SERRA do Cachimbo, no Pará (PA), é o  novo lar da onça pintada Denise. O felino de três anos foi solto no dia 21set. no Campo de Provas Brigadeiro Veloso (CPBV), que há oito anos tem uma parceria para a soltura de animais na região com a unidade do Ibama de Guarantã do Norte (MT). O calendário do Ibama é conciliado com o treinamento operacional dos esquadrões na unidade. Desta vez, o transporte do animal foi feito em um helicóptero H-60 Black Hawk do Sétimo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (7º/8º GAV), o Esquadrão Hárpia, de Manaus (AM).

De acordo com a médica veterinária e analista ambiental do Ibama, Denise Eglert, são poucos os lugares para a soltura de animais que estão longe de cidades. Por este motivo, o CPBV acaba tendo a preferência do Ibama neste tipo de ação. Este ano, 50 papagaios apreendidos em diversas cidades do Mato Grosso foram soltos na área preservada da Força Aérea Brasileira (FAB) da Serra do Cachimbo e ainda este mês um irara, parente próximo da ariranha e da lontra, também vai fazer parte da fauna da organização militar.

“É uma satisfação muito grande conciliar as nossas operações com as atividades do Ibama. Estas ações são importantes para que a população enxergue o CPBV como um patrimônio do país. O Ibama, inclusive, nos orienta sobre como agir com os animais em uma região preservada”, explica o Comandante da unidade, Tenente Coronel Sandro Francalacci.

Foram dois anos até os olhos de cor amarela da onça Denise – o nome foi uma homenagem a analista do Ibama – encontrarem novamente a selva. A abertura da caixa de madeira em uma clareira na mata próxima à Serra do Cachimbo foi antecedida por momentos de tensão que só terminou quando o animal sumiu no meio dos arbustos.
“Todos os animais são soltos com dispositivos que permitem o monitoramento na selva”, explica Denise.

A onça foi recebida por Denise como um  presente de Natal: ela chegou a Guarantã do Norte ainda filhote no dia 24 de dezembro de 2008. Um caçador matou a mãe do animal e levou o filhote para a sua fazenda na cidade de Sorriso (MT). Quando não tinha mais condições de criá-lo, resolveu deixar a pequena onça no Corpo de Bombeiros da cidade. A médica veterinária revela que os maiores objetivos da reabilitação são deixar o animal saudável e oferecer a ele condições mais próximas do que seria a vida na mata.

“O filhote chegou agressivo, já que tinha sido muito maltratado, e passou por uma reabilitação, para que pudesse ser solto no seu próprio habitat.  Nós reduzimos o contato dela com seres humanos gradualmente, até transferí-la para outro local maior no meio da mata”, contou Denise. (sítio do Comando da Aeronáutica // http://www.fab.mil.br)

Anúncios

DEIXE um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s