ESQUADRÃO PELICANO completa 53 anos de atuação em buscas e salvamentos

Resgate do Gol 1907O Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2º/10º GAV) completa, nesta segunda-feira (6),  53 anos de existência. O Esquadrão Pelicano é o responsável pelas buscas e salvamentos de aeronaves e embarcações desaparecidas em todo o Brasil e até em alguns países vizinhos. Os “pelicanos”, como são chamados os militares que servem no esquadrão, já participaram de importantes missões no país e realizaram o salvamento de mais de seis mil pessoas. Para celebrar a data foi realizada uma solenidade militar com a presença do Ministro do Superior Tribunal Militar, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Willian de Oliveira Barros, entre outras autoridades militares e civis. Ex-integrantes do esquadrão e todo o efetivo da Base Aérea de Campo Grande (BACG) também participaram da cerimônia.

Em Campo Grande desde 1981, os “pelicanos” participam também da campanha anual de multivacinação em toda região do Pantanal e Amazônia. O esquadrão também faz o transporte de pacientes em estado grave para centros de maior recurso médico e ajudam a população ribeirinha nas cheias do Pantanal (MS), transportando alimentos e medicamentos para as pessoas isoladas.

Entre as missões de destaque nacional estão as buscas aos 218 passageiros do Airbus da Air France, em junho de 2009, quando os pelicanos foram os primeiros a decolar para o local da tragédia, e o resgate aos corpos dos 154 passageiros do voo 1907 da Gol, episódio no qual os militares de Campo Grande (MS) também foram os primeiros a chegar. Na missão do voo 1907, os pelicanos permaneceram mais de 40 dias no local do acidente.

Os Pelicanos

A simbologia em torno do pelicano é uma história de dedicaçãoFormatura da BACG e abnegação. A ave costuma sofrer de uma doença que deixa uma mancha vermelha em seu peito. A partir daí surgiu uma lenda medieval em que, ao perceber que seus filhotes estão famintos e que não há nada para alimentá-los, a ave bica o próprio peito, tirando de lá alimento necessário para a sobrevivência deles.

Deste tipo de atitude, surgiu o lema e ideal de vida dos integrantes do Esquadrão Pelicano: “Para que outros possam viver”, remetendo ao fato de estarem sempre prontos para ajudar, nem que para isso seja necessário doar do próprio sangue. O 2º/10º Grupo de Aviação, também conhecido como esquadrão Pelicano, foi criado no dia 6 de dezembro de 1957 na Base aérea de Cumbica, em São Paulo (SP). Em 1972 foi transferido para a Base Aérea de Florianópolis (SC) e, em 20 de outubro de 1980, mudou-se para a Base Aérea de Campo Grande (MS), sua atual sede.

Responsável por buscas e resgates em todo o Brasil e até em alguns países vizinhos, os pelicanos chegam às mais distantes localidades brasileiras em um espaço de tempo reduzido, devido a localização estratégica do estado do Mato Grosso do Sul, na região central do País. É este esquadrão que responde ao Alerta SAR (Search and Rescue) Brasil. Ao longo de sua existência, participou de mais de três mil operações reais, voando mais de 25 mil horas e resgatando mais de seis mil pessoas. O Esquadrão Pelicano é considerado um dos mais importantes da Força Aérea Brasileira (FAB).

O esquadrão age como forma de suporte a todas as operações da FAB, bem como resgatando aeronaves civis, militares, navios e embarcações. O efetivo conta com  aviões C-105 Amazonas e helicópteros Homenagens a militaresH-1H, equipados para atender a qualquer situação de emergência na terra ou no mar. Mecânicos, observadores e  pilotos, entre outros profissionais, estão prontos para decolar a qualquer momento. Os Pelicanos mantêm por 24 horas, durante todo o ano, uma equipe de prontidão.

O Pelicano também participa de ações de misericórdia. São feitas missões de socorro, remoções de emergência de pacientes em estado grave para centros de maiores recursos médicos, apoios em caso de catástrofes naturais, como enchentes e incêndios. Também atuam em várias campanhas sociais, incluindo a campanha anual de multivacinação em toda região do Pantanal e Amazônia, buscando sempre apoiar a população civil. A vantagem está na versatilidade dos profissionais que, após intenso treinamento, estão aptos para chegar a lugares de difícil acesso.

Fonte: BACG (transcrito do portal http://www.aer.mil.br)

Pensamento do dia: “A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas.” (Horácio)

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

Anúncios

DEIXE um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s